CEPESE – Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade
Anno 2020 | Numero 157Sexta, 05 de Junho

Sobre o DIGIGOV

A plataforma DIGIGOV – Diário do Governo Digital (1820-1910) é o principal resultado de um projeto de investigação com o mesmo nome desenvolvido pelo CEPESE e financiado pela FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia (PTDC/ EPH-HIS/0777/2014), através de fundos nacionais e cofinanciado pelo FEDER, no âmbito do Acordo de Parceria PT2020.

A origem do jornal oficial do Estado português situa-se em 1715, quando se deu início à publicação da Gazeta de Lisboa, que entretanto tomará diversos nomes, fruto das sucessivas vicissitudes históricas, até se transformar no atual Diário da República, mas que, até hoje, apenas viu a sua publicação interrompida entre 1762 e 1778, por ordem de Sebastião José de Carvalho e Melo, detendo, portanto, uma assinalável longevidade, sem paralelo entre os jornais portugueses.

Tratando-se do terceiro jornal a circular em Portugal – o primeiro no século XVIII –, constitui uma fonte basilar para o conhecimento da História do Portugal Contemporâneo, especialmente durante a Monarquia Constitucional (1820-1910), pela diversidade e riqueza de conteúdos que então apresentava, longe de se circunscrever, como hoje, à publicação de atos oficiais da administração executiva, legislativa e judiciária do Estado.

Todavia, a escassez e dispersão geográfica das coleções disponíveis, a inexistência de qualquer coleção completa, a dificuldade no seu acesso – muitas vezes fora de consulta devido ao mau estado de conservação – e a sua dimensão (quase três centenas de volumes em grande formato e mais de 28 000 edições), constituíam até agora pesados entraves à tarefa daqueles que pretendiam consultar e trabalhar esta fonte. Além disso, importava estudar mais a fundo o jornal oficial e a sua história, que se cruza diretamente com a história do próprio País, dando-o a conhecer a investigadores e ao público em geral e assim promover a sua consulta e utilização.

Para ultrapassar tais questões, ao longo de três anos e meio, uma equipa de mais de vinte elementos, composta de historiadores, arquivistas, engenheiros informáticos, designers e outros especialistas, procedeu à digitalização em alta resolução de todas as edições do jornal oficial do Estado Português publicadas entre 1820 e 1910 – num total aproximado de 300.000 imagens –, ao tratamento das imagens obtidas e sua conversão em texto pesquisável, à indexação dos ficheiros e ao desenho e construção deste portal. A mesma equipa procedeu ainda à elaboração de diversos estudos sobre o jornal oficial do Estado português, as suas origens e evolução histórica, os seus principais elementos (características físicas, estrutura interna, conteúdos, redação, impressão, circulação, audiência, etc.); analisou alguns dos principais jornais oficiais estrangeiros, tendo em vista a elaboração de futuros estudos comparativos; e desenvolveu diversos trabalhos de caráter historiográfico baseados nesta fonte e que comprovam o seu potencial.

Esperamos que o DIGIGOV, além de concorrer para a conservação desta preciosa fonte, contribua também para a sua divulgação e consulta junto do grande público e de investigadores nacionais e estrangeiros das mais diversas áreas do saber, de forma a dar origem a novos e bem fundamentados estudos sobre um período tão rico da História de Portugal, com muito ainda por explorar.

Resta-nos agradecer às entidades que tornaram possível a realização deste projeto. À Fundação para a Ciência e a Tecnologia, pelo financiamento concedido, que possibilitou a aquisição dos recursos humanos e materiais imprescindíveis a um projeto desta dimensão e natureza. À Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Reitoria da Universidade do Porto, Biblioteca Pública Municipal do Porto e Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro, pela cedência graciosa dos exemplares do Diário do Governo que se encontravam em falta na coleção do CEPESE. Finalmente a toda a equipa que integrou este projeto e que nele trabalhou arduamente na construção deste portal, que assim se constitui como um repositório de uma parte fundamental da história e da memória do nosso País.

 

    Coordenador Geral

    Fernando de Sousa

 

    Coordenação da plataforma

    Ricardo Rocha

 

 

Investigadores

Conceição M. Pereira 
Diogo Ferreira
Eurico Dias
Fernanda Paula Maia
Isilda Monteiro
João Relvão Caetano
José Francisco Queiroz
Paula Santos
Paulo Amorim
Pedro Mendes
Ricardo Rocha

Consultores

Celso Almuiña
Jean-Yves Mollier
Lená M. de Menezes
Márcia Gonçalves
Maurizio Vernassa
Natasha Glaisyer
Roger Mellen
Sara Clavell

Tratamento documental

Catarina Lameirinhas
Diana Correia
Lúcia Matos
Pedro Leitão
Wilza B. dos Santos

 

Programação

João Duarte
Nuno Matias

Web Design

Diana Vila Pouca

 

Tradução

Ricardo Rocha

 

Gestão do projeto

Bruno Rodrigues
Paula Barros

 

Sobre o CEPESE

CEPESE – Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade é uma Instituição de Utilidade Pública consagrada à investigação científica, de vocação interuniversitária, com estatutos próprios, fundada pela Universidade do Porto e pela Fundação Eng. António de Almeida.

No âmbito do seu objeto e fins, está constituída no CEPESE, desde 1996, uma Unidade de Investigação na área da História e de outras Ciências Sociais e Humanas, com a mesma designação, cuja atividade se rege pelas normas estabelecidas pela FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

A sua investigação desenvolve-se na área da História e de outras disciplinas das Ciências Sociais e Humanas que contribuam para o estudo, análise e compreensão da sociedade, entendida num sentido lato, da sua evolução histórica, caracterização ao presente e desafios futuros.

Para tal, apoia a realização de estudos e projetos de investigação, parte dos quais em colaboração com outras instituições congéneres, propiciando o debate dos resultados em seminários e outros encontros científicos e promovendo a sua publicação em livros, na sua revista, População e Sociedade, de periodicidade semestral, nas coleções temáticas que edita e em revistas científicas nacionais e estrangeiras, bem como através das suas plataformas digitais.

Ao presente, conta com cerca de 300 associados individuais, além de duas dezenas de sócios coletivos e patronos de honra, que abrangem instituições de ensino superior, câmaras municipais, fundações e empresas privadas que valorizam a investigação científica e a atividade que o CEPESE desenvolve. Enquanto unidade de investigação, agrega mais de uma centena de investigadores doutorados.

O CEPESE dispõe de instalações próprias em edifício autónomo da Universidade do Porto, que inclui vários gabinetes de trabalho, sala de reuniões e biblioteca especializada, e encontra-se apetrechado com o equipamento tecnológico necessário para suportar as atividades que desenvolve, incluindo os seus próprios servidores. Conta ainda com a colaboração de um Secretariado permanente multidisciplinar para apoio aos seus associados e investigadores.

Para mais informações, visite www.cepese.pt.